24.5.06

Só nos resta viver


Encontrei a solidão esses dias, entre 9 e 10 da noite. Era uma terça-feira, e as terças-feiras sempre se mostraram difíceis e ardilosas. Sinto o gosto da terça-feira, nem chega a ser amargo, tem gosto de inseto que entra pela boca quando você está distraído. As memórias de outras terças-feiras, do peso do dia que parece ter mais de 24 horas, que parece ser longo como um sermão na igreja, que é insuportável como o horário político. É terça-feira, estou sozinha, vulnerável, o tempo é gelado, o vento é cinza. Perfeito para um encontro com ela, justamente de quem mais procuro fugir, me esconder, evitar esbarrões desnecessários.

A solidão é supérflua, não preciso dela, não sinto falta, não desejo e aprendi a me livrar dela com o tempo. Aliás, fazia muito tempo que não pensava nela. Mas bastou ser terça-feira, fazer frio e ser 9 horas da noite, entrar no carro, dar algumas voltas pela rua, ver os bares com casais, ver outros bares vazios, não ver nenhuma mulher sentada sozinha em nenhum deles para me sentir sozinha. Vejo um homem sozinho no bar, bebendo e fumando. A solidão veste melhor um homem que uma mulher. A visão de uma mulher no bar, sozinha, fumando e bebendo é dura e estranha. Além da solidão ainda encontro o preconceito. Estou muito bem acompanhada nesta terça, como já deu pra notar.

De nada adianta os livros que li, o quanto amadureci antes do tempo, todos os perrengues que passei, não adianta o que algumas pessoas já falaram de mim, que sou forte, que agüento tudo, que seguro qualquer coisa. As frases prontas estalam na cabeça: você não precisa de ninguém para ser feliz, você tem que se bastar, você não pode depender de ninguém. Quem falou tudo isso não estava no meu lugar, numa terça-feira fria, com a solidão ali, sentada no banco do carona olhando pra mim. E quanto mais voltas eu dava, querendo encontrar um lugar para me livrar dela, mais ela se recostava no banco e ria. Também dói em mim saber que a solidão existe e insiste.

4 comentários:

Bruno R. disse...

Realmente, as terças são desoladoras. São piores ainda que as segundas, pq nessas a gente ainda pode dizer que ta meio assim pq o fim de semana acabou de acabar. Na terça não, é dureza, é a vida na cara, na base da porrada. e não tem pra onde correr.
Achei o blog de vocês muito, mas muito foda. Ainda não tive tempo de ler tudo, mas logo irei. E aí vou continuar acompanhando os passos futuros.
Beijo.

Duas disse...

bruno, nem sei por onde começar a agradecer. "muito, mas muito foda" é realmente um baita elogio. seja muito bem-vindo sempre.

bjo, elisa

Anônimo disse...

Olha, adoro o blog, vcs tem alguma lista? Mailing? Gostaria de receber no meu e mail pra ler com mais frequencia. E quanto ao comment sobre solidão...Ela gosta de mim aos domingos, mesmo que eu passe o dia inteiro fora ela gruda e vai comigo pra onde eu for...um saco! Rs ;-)

BJs, Rê.

Anônimo disse...

Very pretty site! Keep working. thnx!
»