11.2.09

amor?


Havia algo errado. Já tinha passado dos 27, vivido um bocado de namoros, casos, enrolações. E por mais diferente que uma história fosse da outra, havia um padrão na forma de agir, no jeito como as coisas acabavam ou começavam. O mesmo sentimento de coisa mal resolvida, um déjá vu de atitudes. Na tentativa de entender o motivo dessa repetição patética, fechou os olhos e resgatou lembranças picadas e mofadas dos seus primeiros relacionamentos.


Ele era o mais bonito da turma. E ela, bem, ela não era. Mas foi
escolhida. E como a menina não tão bonita nem tão popular poderia desprezar o objeto de desejo do colégio? A falta de amor era compensada pela fama rapidamente adquirida. Desfilar com ele pelos corredores e ser alvo de olhares cortantes era o máximo aos 17 anos. Ele gostava dela, gostava mesmo. Deixava bombom na mesa, escondia bilhetes na mochila, ficava tímido quando ela olhava bem firme nos olhos. Dizia que ela era diferente de todas porque não gostava de Capricho, não fazia escova nem escutava New Kids on the Block.

Só que a menina gostava mesmo do esquisito da Exatas. Não conversava
direito com ninguém, matava educação física pra ler na biblioteca e ostentava uma barba rala e mal feita. Passou a esbarrar nada acidentalmente com ele no ponto de ônibus e pegou uma matéria extra na turma de inglês que cursava. E um dia, coitadinha, um dia perdeu a aula e foi à casa dele buscar as anotações. Era decidida, determinada. E safada também. Com 18 anos, sabia que mulheres, quando querem, conseguem as coisas assim. Chegou à casa dele com seu batom cor de boca, pra fingir que não estava maquiada, e a bochecha coradinha depois de tapinhas leves. Assim que ele abriu a porta, fez cara de doente e, antes que ele pudesse dizer qualquer coisa, fingiu um quase desmaio. Pronto. Duas semanas foram o suficiente pra beijar o misterioso. E dez segundos o suficiente para a graça sumir. Sentiu nojo. Na hora achou que fosse da barba. Ou da baba. Empurrou ele, pediu desculpas e saiu correndo.

Chorou horrores no caminho de casa. Sentia culpa, pena no namoradinho
bonito e uma sensação esquisita. Se estava indo atrás do que queria, por que diabos tinha sido tão ruim? A crise de consciência deu febre, dor de barriga, de estômago. Depois dessa achou que tinha aprendido uma lição. Mas não sabia qual. De repente que trair fazia mal ao estômago. Ou que deus castiga quem mente. Mas nada que realmente pudesse ensinar algo como ser humano. Pensou que o tempo e outras experiências acabariam esclarecendo esses episódios.

Dez anos depois lá está ela, novamente perdendo o sono.
Ele é fotógrafo. Magro, alto, ombros peludos. Cabelos crespos e ralos, pele grossa e melada. Está longe de ser a primeira imagem que gostaria de ver assim que abre os olhos pela manhã. Mas ele é fotógrafo. Ele vê tudo de um jeito poético. Enxerga beleza em ângulos tortos. Repara naquele pedaço de corpo que só você vê que é tão bonito. E descobre outros que você desprezava.

Sei por que ela sonha tanto com ele. Por que passa a mão nos cabelos, encolhe a barriga e força a lordose assim que ele passa. Sei tudo. Não é vontade de dar, de estar junto. Não é romance, não é vontade de compartilhar uma história, uma vida, de preparar um café da manhã na cama. É querer ser a musa, a inspiração. A que faz ele querer trabalhar feliz. Aquela para quem ele agradece quando ganha um prêmio. A dedicatória do livro. O tema da melhor exposição da carreira dele. E talvez ela vá atrás. Talvez use a mesma tática que usou quando era uma menina. Bata à porta com uma desculpa besta, finja que é frágil e viva uma história.

Depois de pensar, pensar e pensar ela veio pedir minha opinião.

- Vai ver não nasci pra amar, sei lá.

- Vai ver que isso que você anda procurando não é amor.

- Eu quero um cara que babe por mim, só isso. Que nem cachorro
raivoso. Isso me dá segurança, sabe? Eu sei que parece carência mal direcionada, mas foda-se.
- Então desencana. Esquece amor. Fica todo mundo procurando amor, amor, amor e nem sabe direito o que quer. Pelo menos agora você sabe: quer ter o ego massageado o tempo todo.
- Sou uma vaca por causa disso?

- Não. É só uma frustrada a menos no mundo.


ilustração em vidabesta.com

35 comentários:

darsh. disse...

gostei do conselho final =p

Carlos Eduardo Heinecke de Castro disse...

É... apesar de triste, é um consselho um tanto realista ._.

Hellen Taynan disse...

Um conselho mto pertinente nos dias de hj...
Adoro esse blog. Venho sempre aqui!

Sabine disse...

"É querer ser a musa"
nada melhor do que saber exatamente o que quer..


adorei o texto.

manu, cara de anú disse...

O final é de matar!

E num é que muita gente procura isso achando que é amor?

Garota de Coturnos disse...

Muito bom! Adoooooorei hauahau

RivaEscrita disse...

Nota dez, como sempre. Eu babo (será que sou bobo ?) com os textos inteligentes daqui. Parabéns. Abraços prá todas.

LHISS disse...

Como sempre....ADOREIIIII!!!!!!!!!!!

MP disse...

Adorei! 'E a verdade no talo sem nhem nhem nhem, melhor saber o que quer do que fantasiar e ficar esperando um principe como nos contos de fada.

Anitcha disse...

Perfeito!!
Como sempre!! Amo os textos de vocês e vivo acessando o blog pra ver se tem novidades...
De fato... Melhor saber o que quer a não saber... E é por não saber o que querem que muitas pessoas causam as frustrações alheias... Sei bemmm como é isso... Alguém já quis ser meu "muso" e não o meu amor... Vai entender a cabeça do ser humano!! Mega bjsss pro cês!!
=)

figbatera disse...

É claro que eu tb gostei, como sempre; essas duas meninas que aqui escrevem sabem tudo.
E é porisso que este blog está lá, listado no meu bloguinho, entre os de "leitura obrigatória".

Paulo Bono disse...

Não sei porque tanta gente se frustra no mundo.

aquele abraço

Sabrina Davanzo disse...

Adorei os textos.. adorei o blog.
Também sou redatora, mas não sou tão de "merda" assim.. hahaha
Um dia chego lá!
Voltarei mais vezes!

Abraço!

Karine disse...

Estou sem palavras.Speechless.

Maravilhoso.Esse texto não ilustra,de forma alguma,o´nome desse blog.É o extremo oposto.

^^

É a primeira vez aqui.Vou voltar.Preciso voltar.Já era,agora gamei de vez.

^^

Beijinhos!
:*

Dani Antunes disse...

"- Sou uma vaca por causa disso?
- Não. É só uma frustrada a menos no mundo."

Cara, vocês são demais!

B. disse...

O final foi demais!
Um conselho um tanto lógico que muitas vezes não queremos enxergar...

Adoro esse blog!
Um beijo. :)

elisa disse...

gostei gostei
inhaum

e mesmo que fosse vaca, dependendo da situação, vale a pena. hehehe

bj meninas!

Careca disse...

Gozado, ontem mesmo estava falando de dedicatórias. Abç,

Culpada! Como qualquer mortal... disse...

bom pra mim uma pessoa q gosta de massagear o ego o tempo todo precisa de terapia pq isso é falta de amor-próprio e autoconfiança

mas o conselho foi ótimo ahauahauaha

bjs

Gigi Quebrabarraco disse...

Engraçado, quando eu vivia exigindo que ele massageasse meu Ego, eu acabava frustada,um dia resolvi deixar pra lá ... Hoje, eu sei que sou a musa dele, nas coisas mais implícitas e não no obvio como eu esperava. Teu texto é "doido" (no bom sentido) faz a gente repensar de todas as formas, bjosss não vivo sem isso aqui!

Babi disse...

E não é o que todo mundo quer, ter o ego massageado?

Bel Lucyk disse...

Tem muita gente na vida que simplesmente gosta de conquistar e depois, perde a graça. Mesmo se sua amiga tivesse um cara babando por ela, logo logo ela se cansaria. =)
PS - adoro esse blog

Shagaly disse...

Texto assustadoramente realista!

Karine disse...

Não me canso de ler.

^^

Lucas disse...

Nada melhor que o amar sem amor.

Flavih Jones disse...

Muito bom, muito bom..
Adoro os textos de vcs.
Sempre me divirto muito por aqui. =D

Ahh, tem um selo lá no meu blog para vcs.

Beijãoo.!

Flavih Jones disse...

Muito bom, muito bom..
Adoro os textos de vcs.
Sempre me divirto muito por aqui. =D

Ahh, tem um selo lá no meu blog para vcs.

Beijãoo.!

R.Paschoal disse...

ELA NÃO QUER SER MUSA, QUER SER MUSEU!

napontadahlingua disse...

DE fato,acho que oq é valido é saber o que realmente se deseja,por isso q mt gent bate na porta do amor e da de cara nela ;)

Késia Moura disse...

Ele é fotógrafo. Magro, alto, ombros peludos. Cabelos crespos e ralos, pele grossa e melada. Está longe de ser a primeira imagem que gostaria de ver assim que abre os olhos pela manhã. Mas ele é fotógrafo.

ADOREI =D

Dra. P. disse...

Imagino que não foi a intenção de vocês, mas que esse texto tem uma pitadinha de psicanálise, ele tem...!

Bjo pra vcs

e saudades da Val!

Paula

Garotas Nada Vazias disse...

É verdadeiro. Principalmente para quem procura doses diárias de endeusamento.



Bom!

::Soda Cáustica:: disse...

Perfeito. Andei me identificando.

Nathália disse...

Ela sou eu.

Rodrigo Artur disse...

Saber o que quer é vacina para a frustração.