9.2.06

As dores e o tempo


Experimente fazer um corte no seu próprio braço. Nada de mais, algo superficial. Vai doer, ficar vermelho, sangrar, arder na hora do banho. Provavelmente você tenha que colocar um band-aid. Vai incomodar. Mas no dia seguinte o corte terá uma fina casquinha. Mais dois ou três dias a casca ficará mais forte e a pele por baixo vai estar quase sarada. Em uma semana a casca já se foi e seu braço estará lá, com uma leve marca branca, um fio que irá desaparecer com o tempo. Mas você olha e tem certeza de que o machucado fechou e não abre mais, a não ser que você se corte novamente. A cicatriz não incomoda, a pele está praticamente perfeita, tudo certo.

Experimente um corte na alma. Uma dor qualquer – uma decepção, uma traição, uma perda. Você consegue saber quando a cicatriz fecha de vez? Prefiro mil cortes no braço a uma dor na alma. Não vejo o quanto ela sangra, acho que já estou curada e de repente, sem eu saber por que, a dor volta e sangra tudo novamente. O tempo cura tudo? Os cortes no meu braço, sim, na minha alma, desconfio que não. Ou pelo menos esse tempo é bem maior do que eu pensava. E também me engana, pois vejo ele passar e não vejo minha alma sarar. O problema está em mim ou no tempo? Ou nos cortes que tenho? Se souber o nome do remédio pra isso, me conte. Tempo eu já sei que não é.

Para Marcelo, meu irmão. Ilustração: Paulo Prot.

6 comentários:

Duas disse...

Eu ainda acredito no tempo. Talvez porque ainda não tenha sofrido um corte tão profundo.

prot! disse...

difícil comentar este tipo de tema. é andar sobre o fio da navalha!

Camila disse...

Ai...
Quando alguém te contar, me conte também...
Beijo

Thaíís disse...

achei isso numa comunidade e acrediito plenamente no que li ..

'O tempo não cura tudo, aliás o tempo não cura nada, o tempo apenas desloca o incurável do centro das atenções. '

faz sentiido né?!
mais uma vez, liiindo texto =)
ameeeeeeeii, como todos os outros, acho que começei a ler esse blog eram 16:00 , já são 20:30 e ainda estou aqui , isso é um otimo siinal ;D

Girl disse...

ahammm...concordo, q o tempo não cura as dores dependendo da intensidade delas é claro!!!
o amor continua ali em silêncio,inerte e proibido de gritar...sangrando inesperadamente!
ah como eu gostaria q esse amor tivesse cura,seja qual for...
tempo,remédio ou paciência...mas não acredito...nisso.

Luci disse...

Penso muito sobre isso que falou.. Escrevi esse post no meu blog http://seencostarleva.blogspot.com/

"O tempo não cura tudo. Aliás, o tempo não cura nada. O tempo apenas desloca o incurável do centro das atenções."
Sábio foi aquele que disse essas palavras. Há certas coisas que nao permitem uma cura. Pergunte áquela menina que perdeu seus pais se um dia aquele sensaçào de vazio será curada; converse com aquele pai que teve sua filha sequestrada se aquele medo ao vê-la sair a noite será curado; pergunte ao menino se a dor de perder aquele cachorrinho, aquele que era seu melhor ou talvez único amigo, vai sumir. Não! Não vai. Não Acredite no clichê "o tempo cura tudo" pois é mentira. A tristeza de perder alguem querido, de imaginar a perda de alguem querido ou do simples fato de nao ter esse alguem nao vai sumir. Ela vai estar aí, ao seu lado, sempre. E não digam que sou alguem negativo, sou apenas um pessoa que tenta enfrentar seus problemas. Não que eu consiga, na verdade nunca consegui. Quem consegue de verdade? Buscamos formas de escapar da nossa realidade. Seja num copo de bebida, num trago de cigarro ou em risadas falsas. O mundo é feito de aparências. Mostre-se feliz e é o que importa às outras pessoas e à sua consciência. Somos todos hipócritas. E o tempo... ele é mais hipocrita ainda.