14.9.09

Tempos depois



Você já teve vergonha a ponto de sentir uma pinçada no peito e um leve tremor no cérebro? Acordei com isso hoje. Sonhei com você. E foi o suficiente pra passar o dia recapitulando nossa história. Quer dizer. A história que inventei sobre nós dois. Quando lembro de tudo que falei sobre a gente, sobre as expectativas que criei, é inevitável não me sentir ridícula.
Seguir o coração devia ser um caminho esquecido na adolescência. Impulsos sentimentais e urgentes fazem você acreditar, sem um milímetro de dúvida, que se aquele momento passar, a oportunidade nunca mais aparecerá. Como um portal aberto no tempo. Hormônios descontrolados assumindo o comando do cérebro.
Mas por um desvio de caráter, que é como encaro esse romantismo besta, não podia ver uma possibilidade de virar princesa que me entregava.
É tão patético pensar que criei tudo que eu dizia existir entre a gente. Simplesmente moldei um sonho e saí escolhendo quem se aproximava dele. Forcei como quem tenta forçar uma peça de quebra-cabeça no lugar errado. Falta uma curvinha, sobra uma pontinha, mas quem liga? A ansiedade de encontrar a tal pessoa era tanta que ignorava seus sinais.
Na escola eu sempre questionava interpretação de texto, porque parecia absurdo haver uma única forma de entender uma história. Se tivesse sido mais nerd, não levaria essa amplitude de interpretação pra vida. O que queria dizer “ você é legal, mas não é o momento”?
a) te amo, mas sou imaturo pra dizer.
b) eu sou um idiota que não consegue bancar esse amor.
c) sou depressivo e preciso ficar sozinho. felicidade não é pra mim.
d) não te mereço.

Agora eu sei a resposta certa. E é por isso que resolvi mandar essa carta. Você deve estar casado, com um filho talvez. Se sua esposa ler isso, diga pra não ter ciúmes. Eu também estou casada. E estou grávida. Sinceramente, essa é a vida que eu nunca sonhei. É a vida possível. A vida real, de pé no chão. E sou bem feliz assim. O tal romantismo eu guardei em uma gaveta bem escondida, pra não cair na tentação de abri-la. Uma coisa é ser romântica no dia a dia, com o cara que escolhi. Outra é ser escrava de uma ilusão que promete um amor capaz de matar o mundo de inveja e fazer qualquer outro problema parecer uma mosquinha. Gosto de acreditar que é coisa genética, sabe? Nasci assim e só existe um modo de viver com sanidade: tomando doses diárias de realidade e correndo, desesperadamente, de qualquer possibilidade de fantasiar uma situação. Que é exatamente o que fiz com você.
Sei que fui imatura, desesperada, cruel. Eu pedia honestidade e você era honesto. Mas eu ouvia o que queria e ainda espalhava a minha visão deturpada de você pra todo mundo. De nada adianta a sinceridade quando a verdade não convém.
Nem sei se pedir desculpa adianta. Acho que nem é o caso. Mas quero dizer que agora entendo seu lado. Parecia meio maluca na época, insistindo tanto, dramatizando tudo sem necessidade. Tentando trazer minhas fantasias para sua vida. Precisei de sei lá quantos anos pra entender que ao dizer "você é legal, mas não é o momento", você queria dizer apenas "opção e) você é legal, mas não é o momento”.


ilustra de galvão em www.vidabesta.com

53 comentários:

Gigi Quebrabarraco disse...

Preciso desabafar, eu ando meio depressiva, e acho que viciada, pq durante os quase 30 dias q vcs não postam eu fico amargurada, e qdo abro e tem novo post, sabe aquela sensação q corre nas veias e vc parece q respira assim meio q demoradamente, tipo aaaahhhhhffff . Beijos

Bruno Reis disse...

é tão engraçado quando a gente sabe que está passando por cima da razão, que a verdade (talvez um pouco dura) vai chegar a qualquer momento e dar um tapa com luva de pelica na nossa cara e dizer, "eu avisei!", mas mesmo assim a gente segue atropelando tudo rumo ao muro no qual vamos nos estatelar, né? e aí, tempos depois, anos no caso da nossa personagem, a gente olha pra trás e diz, "ela (a outra pessoa) tinha razão, afinal". tirando as pessoas grávidas, casadas e afins, acho que eu poderia colocar o meu nome nessa história também. logo eu, que sempre fui tão racional. e eu olho pra trás de vez em quando, e penso comigo mesmo, "viu só como é a vida?". é, eu vi.
beijo!

Paulo Bono disse...

acho injusta a luta entre a vida romântica e a vida real. a primeira sempre ganha, é sempre a melhor, não tem barriga, celulite, nem contas a pagar, é só flores e sexo ardente. acho que o "pé no chão" pode ser perfeitamente gostoso. e feliz pra caralho.

abraço

MR disse...

Muito bom o post, tao verdadeiro e sincero. Eh assim mesmo.
E o casamento eh a coisa menos romantica do mundo, li outro dia.
Toda essa estoria sua me lembra Italo Calvino, de "As cidades invisiveis". Dizia ele: quem comanda a narrativa eh o ouvido do ouvinte, nao a voz do narrador.
Boa semana e que bom que voltaram a postar. Eu estou de recesso.

MR disse...

Muito bom o post, tao verdadeiro e sincero. Eh assim mesmo.
E o casamento eh a coisa menos romantica do mundo, li outro dia.
Toda essa estoria sua me lembra Italo Calvino, de "As cidades invisiveis". Dizia ele: quem comanda a narrativa eh o ouvido do ouvinte, nao a voz do narrador.
Boa semana e que bom que voltaram a postar. Eu estou de recesso.

Menina disse...

ual... esse foi d+! esse post. expressa uma verdade! Fala sobre algo que TODOS que um dia já tentaram se entregar em uma paixão imatura...passaram...! Amoo esse blog, é simpletimente ÚNCIO! bjooos

Nathy disse...

Por que o lado romântico da vida tem que ser tão impossível???
Lindo texto! Ah, e eu sei perfeitamente o que é ter vergonha a ponto de sentir uma pinçada no peito e um leve tremor no cérebro... Ah se sei!

Renatinha disse...

Quando leio estes textos, acho que eu que escrevi... Acho que vc está falando de mim... rsrsrs
lindo.
Pegou pesado! Comigo!
beijos
Re

Elisa Quadros e Valeria Semeraro disse...

docinhoooooo

me dá que essa carapuça é minha.

cada dia que passa mais romantismo barato eu quero. devo estar caducando.

beijo, docinhoooo

Elga Arantes disse...

Perfeito.
Soco no olho!

Bel Lucyk disse...

AMEI!

Camila Lisdália disse...

Nossa... Gostei demais!

Parece até um pouco com o que ta acontecendo comigo agora.

Racionalismo x Romantismo.

O que escolher? Ainda não sei...

Beijo!

Sam disse...

Vocês acabam escrevendo coisas tão possíveis para nós, meros mortais, que acaba desenrolando um novelo de cada sentimento de todos. Complicado, emocionante e real. Isso é o que vocês trazem quando escrevem. E, quando escrevem pouco, sentimos falta.

Acho que as emoções quando relativas ao amor, são semelhante para todos. Vocês trazem as palavras certas.

Adoro demais.

Fernanda disse...

Espero que não demorem tanto para escrever de novo...sinto falta das histórias...é bom saber que coisas assim não são casos isolados em nossas vidas. Coisas normais que dramatizamos, e que são tão comuns.

elisa raquel disse...

uau! texto simples que te prende do início ao fim.
sensacional!
e mais, todo mundo passa por isso um dia né? droga, por que eu não tinha um manual pra tudo isso há anos atrás? vai saber. ráá

bjmeliga

Rakky Curvelo disse...

como é que vocÊs conseguem ser sempre tão realistas e tão certas?

figbatera disse...

Bom demais!
Mas fico com o romantismo e não abro; dane-se a realidade.

Srta. Rosa disse...

Ah, eu adoraria que a realidade se danasse, pessoALL, mas a idade infelizmente não traz à tiracolo as bênçãos da ignorância. Como não dá mais pra gente fingir que não sabe, qeu não compreende, que não tá entendeeeeeendo depois de uma certa hora, prego a filosofia das baixas expectativas.
Mas que ilusão é bom, é. Pena que quando a gente consegue achar que sente lembra que nem é boba mais de cair nessa. É meio que um teatro, onde você brinca, se diverte, ri, chora, sente frio na barriga - mas sabe que no fundo no fundo é só uma encenação.
:)
E, afinal, se a gente nascesse sabendo disso nunca na vida é que se apaixonava, ora ora.

Radael disse...

A fantasia é linda e deliciosa enquanto vivemos ela. Quando deixamos de vive-la ela torna-se tão triste... Mas é tão bom enquanto vivemos... aiai...

Lucas disse...

legal é o cacete! legal é meu cachorro que se diverte com garrafa pet. legal é uma camiseta, de frase. legal é achar dez reais.

Ah, esse amor, essa dor, esse sentimento ilegal. irreal.

ah...

Alice disse...

acho mais eloquente e feliz o amor pé no chão, sinceramente. Certo que ainda nem cheguei lá. Mas é melhor do que esse amor ilusório de sexo todo dia sem contas ou sem cumplicidade *-* o amor de casado é quando você vai pra batalha com uma pessoa junta e tal, encara as dificuldades sempre com um escudeiro e no final vocês suspiram aliviados e solidários. É muito fofo.
Você escreve de maneira deliciosa de ler, sério *-*
Beijoks :*

Limão disse...

Meninas, adoro os textos de vcs. Esse especificamente me emocionou!
Bravo \o/
bjos

Criola disse...

Sincero e delicado.
Acho que todos nós já nos vimos no papel central desta história, idealizando o amor e tentando forçar quem está do nosso lado a caber naquele personagem que moldamos.
Muito bom esse seu processo catártico. Senti que tirou um peso antigo dos ombros para a chegada da criança.
Não sei se o rapaz existe, mas o imagino lendo com paz e entendendo que vc finalmente percebeu que foi apenas o momento.

val disse...

oi, criola.
obrigada pelo comentário fofo.
mas só para meus amigos não pirarem: quem está grávida é a personagem, não eu hihihihi
beijo!

Revista Antimatéria disse...

Muito Legal o Blog.

A Revista Antimatéria te acompanha.

http://revistaantimateria.blogspot.com.

Sa disse...

olá!!

acompanho sempre o blog e é alco incrível o que acontece !! como não olho ele todos os dias, qndo lembro de fuxicar sempre tem uma atualização e parece que sou eu que estou escrevendo o texto, pois traduz exatamente o que estou sentindo!!

parabéns pelos textos!


beijos
sa!

** LÊ ** disse...

como pode todo ser humano passar por isso?

Crrl+C
Ctrl+V...



vou passar hoje nos Correios!

Wanessa Guedes disse...

promete que não vai demorar p/ postar novamente ? *--*

Anderson Dino disse...

Simplesmente demais!

Já disse certa vez algo parecido com "Você é legal, mas não é o momento", e só faltaram me empalar vivo em praça pública. Gostei da narrativa e do seu jeito de escrever. Parabéns!

carlus disse...

Caramba...

esse post é um golpe seco na boca do estômago.

bom, muito bom!

Cristiano Contreiras disse...

Blog conceitual, muito me agrada, já seguirei aqui! ate

Alex disse...

O texto é muito bom, mas a resposta da pergunta é:

e) Não estou mais a fim de você.

Normalmente o homem não tem "coragem" de dizer isso diretamente, pois sabe que essa frase irá provocar centenas de perguntas (por que? O que eu fiz? Quando aconteceu? etc, etc, etc)

Por isso, ele sempre procura achar uma desculpa coerente (para ele) para não dizer que não está mais a fim.

Digo isso porque nenhum homem termina uma relação ainda estando a fim da mulher. ATENÇÃO!!! Não necessariamente ele está a fim de outra!! Prestem atenção!!!

as viciadas disse...

"Seguir o coração devia ser um caminho esquecido na adolescência."

é agora que eu choro?

to caindo no abismo que só os apaixonados caem. tomando doses diárias de insanidade, e achando que encontrei a pessoa perfeita.

Será que ele vai chegar pra mim e dizer: você é legal, mas não é o momento.

pelo menos, eu já sei que isso que dizer apenas isso.

Lindo demais teu texto.

Beijones,L.

Wanessa Guedes disse...

nao demorem meninas *_*
ja estou seguindo vcs !

um cheiro!

Wanessa Guedes disse...

alô?

Gabriela Gonçalves disse...

Casamento é tudo, menos romantismo.rs
bj

Clô disse...

Gatas, espelho, espelho meu. È mais ou menos assim: não cabe racionalidade no amor, até mesmo qdo vc já sabe o final do roteiro, mas daí vem a vida e se vc não decide, ela decide por vc.
Val, em novembro vou aí. Tia Elisa, Tô sempre aí.
Saudades, Clô

Mila disse...

Blog Fantástico!
Sou louca por blogs e já passei mais de duas horas seguidas aqui lendo o de vocês.
Uma maravilha mesmo.
E esse texto,então. Leu exatamente o q eu sinto agora. Exatamente.
Um abraço!

Larissa Bohnenberger disse...

Nossa!
Tô até meio sem palavras!
A verdade é que se a gente fantasia uma relação, fantasiamos também o que vemos e ouvimos daquela pessoa. Damos significados às suas palavras que só nós mesmos, cegos e iludidos, enxergamos.
É dramático, é constrangedor, é sofrido. Dói.
Mas, sinceramente, eu não conseguiria viver sem a fantasia, sem a paixão fulminante que nos faz bancar as idiotas. A realidade não me satisfaz!
Bjs!

Criola disse...

Acho que me inspirei nos textos geniais de vocês e do César, do Protensão e fiz uns escritos no meu, com direito a concurso com presente e tudo. (http://atelierdacriola.blogspot.com)
Descobri o blog de vocês há pouco tempo e já to viciada. Andei lendo até os textos de 2006. tudo muito bom!

Parabéns!

Roberta disse...

gente, o mais legal de ler esse texto, foi lembrar das vezes que isso aconteceu comigo e das incontaveis horas que passei me perguntando a resposta da pergunta, sendo que la no fundinho eu ja sabia...sabe o que e pior? tem uns amigos que acham que tao de ajudando e ainda trazem mais opcoes so pra te confundir ainda mais.
Adorei o texto e ate escolhi a frase que eu mais gostei: 'De nada adianta a sinceridade quando a verdade não convém.'
beijo redatoras de ouro!
Roberta

Naiane disse...

Meninas, onde estão?
Aaaah, apareçam. vai.

E mais um pedido. Podem ir no meu blog?
Não, não.. não estou divulgando nada, só queria que vocês pudessem ler o post atualizado e... é isso.

Obrigada.

Wanessa Guedes disse...

ainda estão vivas? :O

Revisora do P... disse...

"você é legal, mas não é o momento”
opção f) e talvez nunca seja

Vampira Dea disse...

Esse blog é um lindo soco no estômago. Adorei.

Lucas disse...

Próximo?! =0

Tentadoramente Grande disse...

"De nada adianta a sinceridade quando a verdade não convém."
Perfeito isso, quem nunca passou algo assim atire a primeira pedra

catherine disse...

Ai, essas feridas que não cicatrizam..., de tempo s em tempos osu surpreendida por uma nostalgia agonizante, raras lembranças de um passado mal resolvido. Eu queria ter a maturidade de hoje há uns 10 anos atrás, com isto evitaria muitos desgastes emocionais.
Parabéns pelo blog e estou ansiosa para novas historias.

Carina Mota disse...

Esse texto me fez passear por uns bons anos da minha vida. Anos que eu imaginei ter vivido, até o momento em que eu ouvi: Desista de mim, pra que eu não precise desistir de você.

Engraçado como não sofri com isso. A gente dá um salto de maturidade tão grande que quase compensa esses anos na 'escuridão'.

Me emocionei com seu texto.

Henrique Gibbon disse...

Parabéns! A cada texto que leio vou me tornando um grande admirador de seus textos. Favoritei e acompanharei desde então. Enquanto nao há postagens nova, rumo ao primeiro texto publicado, lendo um a um. Parabéns. Novamente.

Renato Rocha Miranda disse...

assustador!

Fabi M. disse...

Que texto fantástico!

Carol disse...

Perfeito, sem mais.