24.11.05

Um dia, um blog

A Bia escreve, a Jana escreve, a Babe escreve, até o Sandro escreve. Respectivamente, minha prima, uma amiga e outra amiga, só que de infância. E por último, o baixista da Big Bat. Sou redatora faz um tempinho, gostava de fazer redações no colégio e ganhava chocolate como prêmio.

Um dia minha mãe fez uma redação pra mim e a professora adorou. E, claro, não acreditou que eu quem tinha feito. Aí vi mesmo que queria saber escrever bonitinho. Mas até então, na minha cabeça, redação era composta de introdução, desenvolvimento e conclusão. No vestibular, vieram as dissertações, só o nome já é pesado de falar. Na faculdade, de novo as redações, agora com um adendo: publicitárias.

No trabalho, as redações publicitárias serviam para um job. E desde então acho que só sei escrever pro job, meu grande patrão. Isso até falar pra Bebel que queria escrever com liberdade. Aí ela mandou essa: começa hoje mesmo. De quando ela disse até chegar aqui gastei 29 horas. Já fiz 3 textos contando com esse. E pensei em criar um blog, com a Val, que também é redatora mas não escreve, e que também tem vontade de escrever. Aí me vem, pra que vou escrever um blog? Não é exibicionismo demais? Não é se expor demais? E tenho lido blogs alheios e não entendo o compromisso de ir lá, colocar no ar um texto toda vez que surge um fato interessante.

Fico pensando na rotina: pensei uma coisa engraçadinha, vou sentar aqui e escrever sobre coisinhas do cotidiano porque isso é cool e eu sou muito inteligente. Não quero que pensem isso de mim, nem penso isso dos donos dos blogs de quem citei aí em cima. Sou confusa com esse assunto, não sei simplesmente ir lá e fazer. Acho que tenho vergonha e medo de julgamentos, ou preguiça mesmo. Mas me sinto bem digitando essas linhas.

Fico com vergonha de não ter lido tantos livros, de ter parado a Montanha Mágica na metade. Tenho vontade de voltar ao tempo em que lia os livrinhos da coleção Para Gostar de Ler, com crônicas tão legais. Paulo Mendes Campos, Fernando Sabino e outros que me esqueci. Queria fazer uma grande obra, mas por quê? Que besteira tudo isso. Pena que você leu até aqui, tenho que pedir desculpas.

4 comentários:

fernando disse...

eu tb parei a montanha mágica na metade. e tb quero uma grande obra.

Gusp disse...

Pedindo desculpas por escrever com liberdade?... rs... guarde-as para os clientes, Tielisa! Se solta, liberte-se, manda ver nos contos eróticos com sua parceira também aaaêêê!!! :P
Pique-peito forever!
Goxtí muito. Bêjo.

Duas disse...

oi gux, vc me emociona. vamos treinar a liberdade away

!*•. Thay .•*! disse...

me vi em vc...
tbm ganhava chocolates e li muuuitos livrinhos da coleção Para Gostar de Ler..
Tbm fiz um blog nao sei pra q e sou redatora de pp..

=D