8.3.07

Seria bom

Queria me contentar com menos. Não com pouco, mas com menos. Aceitar a rotina como um presente, uma dádiva que pouca gente tem de acordar e viver o mesmo dia todo dia. Ter sempre os mesmos problemas e por isso, ter as soluções certas.

Queria não ter vontade de mudar o cabelo e manter o mesmo corte por décadas. Ou apenas alisá-los. Cabelo liso é tão mais fácil de se cuidar. Queria não gostar de meus cachos.

Queria não enjoar de comer rúcula com agrião. Queria ter algumas manias que não se tornassem irritantes com o tempo, mas apenas bonitinhas pra quem vê.

Queria ser mais calma, quase acomodada. Me contentar em ficar em casa ao chegar do trabalho, ter sexo comum, sem novas posições, palavrões e puxões de cabelo. Queria me satisfazer com missa ao domingo, curso de espanhol às terças e quintas, visitas semanais à alguém da família, ginástica três vezes por semana, unha a cada 15 dias.

Queria não acreditar que estou privando meu gato de uma vida livre ao confiná-lo em um apartamento. E não pensar que ele pode morrer virgem.

Queria não desejar o novo, o desconhecido. Queria não gostar de frio na barriga e não ter a necessidade de experimentar sabores diferentes. Viagens apenas anuais, por 30 dias seguidos. Queria me contentar com excursões, que trazem pacotes prontos e tudo definido. Conhecer as pessoas que vão a esses passeios, ter curiosidade sobre a vida delas, ganhar a faixa de pessoa mais simpática do trecho Vitória x Paraguai.

Queria não gostar de show, de sentir o estômago pulsar junto com o coração quando os graves balançam o chão. Queria me contentar em passar em um concurso público e ser rica.

Queria me contentar com música baiana. Esperar o ano todo pelo Vital ou acompanhar micaretas por todo o Brasil, garantindo minha diversão simples e saltitante, com letras que não me façam pensar.

Queria saber ser mais cínica, porque falar a verdade dá trabalho e preguiça, mas não sei disfarçar. Queria me contentar com o que tenho, porque mesmo que pouco, é o que conquistei.

Queria acreditar em tudo que escrevi aqui, mas a impaciência não chega a esse ponto. Queria poder dizer que preferiria ser medíocre a questionar tanto, mas quem disse que não sou medíocre?

Queria aceitar o contentamento, porque afinal, contentar-se deve ter tudo a ver com ser contente. Mas que merda. Até isso parece pouco pra mim.
ilustração: www.vidabesta.com

9 comentários:

Paula disse...

Acho que a única rotina do ser humano é ser insatisfeito com tudo, mas ao mesmo tempo a insatisfação tira a gente da rotina, sei lá...

:)

Bruno R. disse...

então, miss "vitoria x paraguai"... a rotina tem seus benefícios, e eles são muitos, aliás. tudo vira rotina, até mesmo uma vida sem rotina. pq vc acha q os rock stars enjoam de visitar cidade atrás de cidade e um dia dizem que não querem mais fazer turnês?
mas a melhor coisa da rotina é poder quebrá-la, fugir dela de vez em quando, agir de maneira inconsequente e surpreendente uma vez ou outra. é assim, depois de umas dessas vezes, que a gente volta a acreditar no bem da rotina.

ah, e eu tb acho que seu gato vai morrer virgem, coitado. que maldade.

júlia disse...

mas o que seria de nós se não fosse nossa insatisfação com tudo, com a vida? e a satisfação de encontrar pessoas novas e descobrir coisas novas que vem da nossa insatisfação? é necessário. pronto, falei. rs. muito bom o texto. bjim.

José Arnaldo disse...

.


Mais, mais, mais...é isso o que você quer, né, Valéria? Você nunca está satisfeita com nada, meu Deus, quanta cobiça.


rs


Bjs

Duas disse...

é, a insatisfação e a rotina tem lá suas vantagens. mas pq será que a gente precisa delas pra valorizar certas coisas e descobrir outras? ô, saco:)
(adorando os comentários)

Giovana Duarte disse...

Esse é meu dilema de vida atualmente, e tem hora que acho que é por causa dos recém chegados 30 aninhos...
Mas confesso que tem horas que essa "mania de não querer" me pega e me deixa louca, porque me dá a sensação de que se fosse bem mais conformadinha, minha cabeça não fervilhasse tanto!
Adorei o texto, bjão pra vocês!
;**

Bira disse...

Gostei muito da ponderação da Paula, afinal, se sairmos muito da rotina, sair da rotina vira rotina, certo??(filosofia de buteco) O texto ficou ótimo... Acho q devemos fazer o q é certo e o q nos dá prazer, sem parar pra pensar pq a ganância é natureza humana...
Depois dêem uma olhada lá...
www.fotolog.com/bira13

RICARDO VOLOCHEN disse...

DAE!

Ricardo (bebe) disse...

Prezada Giovanna,

Tudo bem no Distrito Federal? Tenho certeza que sim........
alguns anos se passaram......espero que sua vida esteja seguindo o percurso que planejou. Sucesso no trabalho, amigos, familia e amor....
Eu estou muito bem......sinto falta do DF....bem como os amigos que lá deixei.....mas fazer o que a vida e a fila andam......andemos juntos e galguemos a felicidade....

Abraço..... Ass: bebe!