19.10.06

Hoje eu iria embora


Hoje eu iria embora, embora tantas amarras me prendam aqui. Sem temor, acreditando em poder ficar longe disso tudo, iria embora. Ficaria bem longe dos seus gritos, da ausência de entendimento entre nós que a cada dia fica maior e mais difícil de se controlar. Tão grande que invade os lugares que mais tentei proteger. Lá onde acho o amor e a alegria que sinto por você. Não me importa mais, a dor ficou maior, o grito fala mais alto, todas as minhas lágrimas inundam os cantos de tudo que temos juntos.

Como sou eu que estou escrevendo falo por mim e falo das minhas dores. Da dor que causei em você quando não acreditei no que você me oferecia, era o começo e, muitas vezes, preciso começar devagar. Da dor que sinto de não conseguir desfazer esse sentimento em você. Da dor de não ter sido querida o suficiente por você por minha própria culpa. De sempre ver um pé seu do lado de fora. Da dor de ver o tempo passar e não mudar na direção que quero. De que é feito o amor? Construir coisas juntos é amar? Então a gente se amou pouco. Tudo sempre com tentativas, um medo que ronda a maior parte do tempo, a falta de fé, de esperança, de amor, não entre nós, mas em todo o resto.

Não vejo mais saída, eu que sempre acreditei. Assumo que não quero mais como está – e que fique bem claro que é como está. Também não sei se um dia foi diferente, se um dia deixamos de sofrer um por causa do outro. Pois estou me protegendo agora, e não o que temos em comum. Eu, eu e eu não quero mais isso pra mim. Não quero chorar por você, não acredito mais em um tempo melhor. Não acredito que possamos ficar uma semana sem brigar com toda essa intensidade. Aposto comigo mesma que não, estamos esperando o que para mudar essa história, pra interromper o caminho. Por que é tão difícil enxergar? Eu choro, você grita, não nos entendemos, não aceito o jeito de você falar, não me esforço pra entender mais. Não tenho mais força para querer. Quero apenas pensar em não sofrer. Já medi os sentimentos, acho que sei até onde posso ir. Não posso ir mais desse jeito, já dissemos isso um ao outro.

Disse que iria embora e vou. Já fiz meu roteiro. Estou lendo, lendo, lendo. Quero decorar os caminhos que agora vou percorrer sozinha. E sem dor.

Ilustração: Radael Jr.

4 comentários:

Pauleira disse...

Faz tempo que eu tô querendo ir embora!

Simplesmente ADORO o texto de vocês. A Val já sabe disso, mas acho que a Elisa não sabe :)

bjos

Bruno R. disse...

A primeira frase já quebrou as minhas pernas: "Hoje eu iria embora, embora tantas amarras me prendam aqui". Depois fui descendo, lendo mais, e sentia outras partes do meu corpo se despedaçando. Costelas partidas, rins perfurados, pescoço entortado... por último, nesse finalzinho que dói só de pensar em ler de novo, foi o coração. Pq a tristeza insiste em ser bonita desse jeito?
:-)
beijo pras moças.

Karine disse...

Conheci o blog de vocês há pouco tempo, por meio de um comentário postado por vocês no blog do Jairo (Assim como Você)...Desde então não parei de acessar...Me emociono sempre, são diferentes sensações...já li e reli vários textos e até poucos dias achei que já havia lido tudo o que vocês publicaram nesse blog...hoje me deparei com este texto...Engraçado, que bom que só "conheci" vocês agora...Se eu tivesse lido esse texto, justamente há dois anos, acho que teria mergulhado de cabeça num abismo...rs Bom, na verdade teria um lado positivo...eu não teria me sentindo tão sozinha nesse mundo de "meu Deus"...rs Desde essa época, eu também fui embora de mim, mas foi pra me encontrar e posso dizer que sou muito feliz em out.2008...rs
Sou uma fã de vocês daqui de BH...amo a forma com que vocês escrevem, a leveza, a transparência e intensidade me transportam para dentro de cada história,me fazendo sentir como uma personagem ou uma figurante. Sou assumidamente uma voyer de palavras...Vocês me levam para um mundo muito particular...tão meu e tão de todo mundo. Adoro o blog de vocês. Só agora consegui "um tempo" para me cadastrar no gmail e postar para vocês esse meu "breve" relato. Já divulguei o blog de vocês para as pessoas mais queridas de minha lista de endereços. E todos têm a mesma opinião: vocês são ótimas! Já li vários comentários aqui que dizem algo do tipo "pôxa, queria escrever como vocês", realmente, é uma "inveja" positiva. Abraços.

Rafaela disse...

Faço de todas as palavras do Bruno R. as minhas
Adoro os textos de vocês. Esse é o meu preferido! ♥
parabéns meninas