27.10.06

Pra você


Olho pra você e não sei o que aconteceu. Não, não precisa ficar preocupada. Ainda te amo sim, tanto que olha só, já sorri lembrando de seu rosto. Será que você está mais triste? Não consigo enxergar bem. Será que fiquei míope com você? Sinto falta de nossas conversas, de ouvir uma frase saindo de você como se eu a tivesse pronunciado. E de ver sua expressão impressionada ao escutar eu descrever um pensamento que você já tinha há tempos, mas não contou porque precisou sair correndo pra atender ao telefone.

Acredito que seja só cansaço. Você tá cansada, né? Se eu fosse mais melosa, ofereceria colo. E se você também fosse mais grudenta, aceitaria. Mas a gente é assim e se ama sem frescura. É, colo não é frescura, mas não combina com a gente, porque um olhar é tudo que você precisa pra me consolar quando estou triste. Mesmo quando você fala pouco, eu escuto tanto, porque tem muito por trás de tudo que você faz e diz. Mas agora, tá tão amuada. Quer um café? Faço um capuccino pra você, quer? Compro a revista que você gosta ou uma roupa nova da sua marca preferida.

Ixi. Eu vi! Vi um brilhinho aí. Vi um fósforo riscando e um foguinho se acendendo. Será que...será que....Será que você está apaixonada? Já se viu no espelho quando fala o nome dele? Cara de boba, de feliz, de garota propaganda de sandálias. Qual foi mesmo a última vez em que vi esse sorrisão? Não, aquela piada não vale. Tô falando de sorriso que vem acompanhado de um suspiro que esvazia o pulmão e deixa você asfixiada. Você já fez planos com ele? Não me engana não, que conheço sua cabecinha. Aposto uma bolsa nova como já se imaginou dando pra ele. Acertei, não é? Mas o mais assustador é pensar que você já fechou os olhos imaginando como seria o primeiro beijo. Não me sinto trocada não. Até porque esse tipo de prazer eu não posso dar pra você. Se vai dar em algo? Aí já não sei. Mas quem disse que precisa dar em algo? O ruim é que quando esse novo objeto da sua paixão some, você volta a ficar quietinha, calminha, encolhidinha.

Se eu estiver errada e essa calmaria for apenas uma paz que você lutou tanto pra atingir, pode dizer que estou errada. Ofendida eu não vou ficar, só mais feliz ainda.

Chega de falar tanto. Vamos ao cinema, na sessão das 19h, ver um filme bobo e chorar pelos problemas dos outros. E os nossos problemas? Ah, vamos fazer o que sempre fomos mestras. Vamos rir deles?

4 comentários:

Duas disse...

sábio Bozo: sempre rir, sempre rir. docinho, eu te adoro um tantão :*****

Duas disse...

tb te dóro, bozolina:)

Bruno R. disse...

remédio bom, esse. melhor que bezetacil (será q é assim q se escreve isso?). beijo, meninas.

Duas disse...

rir é O remédio. relevar, abstrair ou ignorar mesmo também ajudam muito.
ah, é benzetacil. mas se te consola, fui ao google confirmar:)
bjs, val.